Blá, blá, blá

Senta aqui, vamos conversar bem pertinho. Você, você que deixa comentários xingando o blog e o amor. Isso é muito triste. Mas aprendi a lidar com isso e entendo perfeitamente que é impossível agradar a todos. Se não gosta do blog, se acha uma palhaçada sem tamanho rs, não precisa vim aqui.

Me desculpe, este é só um desabafo. Não é uma crônica legal, não é um texto bonito de amor, não é uma coisa boa de ler. Estou dividindo com você um sentimento, é uma crônica da vida real, porque a vida real é cheia disso também. E eu não sou a pessoa que sabe tudo, a que não tem defeitos, a que entende de muitas coisas como alguns pensam. Na verdade, eu não sei de nada. Estou aqui aprendendo, dia após dia. Porque sou humana assim como você. E não, não acho que os textos iludam quem acredita no amor,
não acho os textos do blog absurdos, fique sossegada. Sou rica, riquíssima de fé e luz, por isso eu espero que você tenha saúde e uma vida cheia de paz. Amém.

Aquelas palavras que eu nunca te disse .

Olha, estou muito triste com você . Triste, chateada, decepcionada . Quando você precisou de mim estive ao seu lado, incansavelmente . Te dei ouvido, colo, ombro . Foi gratuito, sim, veio do coração e foi sincero . E, não, eu não deveria esperar nada em troca, afinal, se a gente faz uma coisa porque quer não tem que esperar nadica de nada dos outros . Confesso que nunca esperei um obrigada . Tudo que faço é porque quero, não forço nada . Não esperava que você beijasse meus pés, apenas que tivesse conhecimento de uma palavrinha chamada gratidão . Ela é tão bonita, tão importante . A gratidão é aquele sentimento que nos faz agradecer por ter pessoas leais em nossas vidas . Todo o ser humano nasce com as tais (terríveis) expectativas . Elas nos tiram o sono, causam olheiras, fazem calo no coração . E eu infelizmente sou uma pessoa que tenho expectativas demais . Talvez o erro seja realmente meu, entende ? Talvez eu tenha esperado que você tivesse consideração . Talvez eu não esperasse que você me virasse as costas depois de tudo . Agora você franze a testa lendo isso e se pergunta : O que ela queria ? Nada . Eu não queria agradecimentos públicos, presentes caros, anúncios no jornal . Só queria sentir uma sinceridade estampada no seu peito . Mas eu sinto uma competição . É claro que ninguém nunca vai ser como a gente espera . É claro que precisamos fechar um olho, fingir que não ouvimos determinadas coisas, deixar passar batido outras tantas . Se formos levar tudo ao pé da letra fica muito difícil . Mas não dá para pisar em ovos o tempo inteiro, não dá pra encenar um papel a todo instante . Precisamos ser nós mesmos . Preciso manter minha naturalidade, não posso viver dando desculpas para sua falta de jeito ou para o meu excesso de sentimentalismo . Sim, eu sei que fico filosofando sobre as coisas e procuro pelo em ovo . Mas ultimamente ando mais simples, mais consciente . O que tiver que ser vai permanecer . É claro que todos os relacionamentos exigem esforço, precisam de um empurrão para funcionar . Mas não posso ser a única a fazer esforço . Dois têm mais força que um . Lembra disso .

Como é bom ser criança .

Dinho

- Oi, meu amor, tudo bom ?
- Oi, tudo, hoje é o meu aniversário .
- Eu sei, por isso tô te ligando .
- Hoje é meu aniversário, mas sábado é a minha festa .
- Ah, é ? Que legal . Como foi teu dia ?
- Foi bom . Sábado é minha festa!
- Que coisa bem boa . E a escola tava boa ?
- Tava . Mas sábado é a minha festa .
- Quantos anos tu tá fazendo ?
- Cinco .
- Tudo isso ?
- Sim, né ? Eu tinha quatro .
- Eu sei . Meu amor, feliz aniversário, tudo de bom, tá ?
- Tá!
- Eu te amo, gordo .
- Eu também .
E assim acabou a conversa com meu irmão Dinho, que hoje faz 5 anos . Mas a festa, não esqueçam, é sábado .

2 aninhos do blog, obrigada!

Niver Blog

Parabéns para mim . Parabéns para você . Esse mês o blog faz 2 aninhos de vida . Ele, que surgiu como uma necessidade de expressão, uma vontade de dizer para o mundo o que eu achava certo e errado, um desejo de compartilhar sentimentos, desamores, sonhos, contradições e tristezas, uma maneira de colocar emoções no papel, um jeito de fazer rir e chorar através de uma tela de computador . Começou de mansinho, devagar . Era um blog modesto . Publicava para mim, para a parede, para conversar com meus botões . Então, passou a ser lido . E passei a tomar gosto pela coisa . O blog passou a ser bastante acessado e eu passei a achar que podia continuar com isso . E cá estou há 2 anos . Obrigada . Dois anos . Dois anos de troca, de letra, de saudade, de lágrima, de riso, de avesso, de encontro, de amor, de vida, de coisas lindas . Hoje é meu dia de agradecer . Obrigada . E obrigada mais uma vez . Obrigada a cada um que vem aqui e me lê quietinho . Obrigada a você, que lê e sorri, que lê e chora, que lê e para pra pensar . Obrigada a você, que lê e me manda e-mail fofo . Obrigada a quem me acompanha desde sempre . Obrigada a quem me descobriu agora . Obrigada a quem me lê diariamente . Obrigada a você, que faz eu ter vontade de continuar . Obrigada a você, que vem aqui, lê e comenta . Obrigada por cada palavra bonita, por cada carinho, por cada gesto delicado . Obrigada aos amigos que fiz . Obrigada a você, que nem me conhece, mas torce por mim . Obrigada de verdade, me emociono com as coisas que vocês escrevem . Mesmo . Hoje eu lembrei que tem coisas que a gente jamais pode esquecer . Agradecer é uma delas : Obrigada, de coração cheio e sorriso largo .

P.S : Às vezes da uma vontade de chorar e apertar no botão ‘excluir blog’ . Mas não vou fazer isso . Eu gosto daqui . Mas que dá vontade, ah, isso dá .

P.S do P.S : Queridos, se quiserem me mandar um e-mail com um recadinho, um desabafo, um beijo bem grande, um abraço apertado, uma crítica construtiva ou qualquer outra coisa :

priscillavas3@gmail.com

Responderei com muito carinho! :*

Para a minha amiga mais irmã, para a minha irmã mais amiga .

mana
Meu amor . Minha amiga-eterna . Eu te amo tanto, és uma extensão de mim . Espera, será que sou uma extensão tua ? Nasci primeiro . Mas isso não importa .
É impossível existir sem a tua presença . És a que me protege, me dá a mão, me diz palavras duras, me manda criar juízo e deixar de ser mimada . Me diz pra ver o mundo, sair do casulo, não ter medo de encarar as adversidades da vida . Meu porto-seguro . Meu colo garantido . Nas noites de medo eu corria para o teu quarto e lá encontrava abrigo e um par de braços misturados com um coração puro e belo .
Quando estavas longe nós escrevíamos longas cartas uma para a outra . Brincamos juntas, brigamos juntas, mas sempre fomos unidas pela amizade . Amizade franca, sem qualquer tipo de interesse . Amor, amor de irmã . Amor mais puro que existe . Amor de quem quer ver a outra sempre sorrindo e iluminada .
O tempo passou, nós crescemos . Não importa o tempo que passe, o quanto nossas vidas mudem e o que apareça no meio do caminho . Estaremos sempre ligadas .
E eu quero dizer hoje que te admiro . Minha menina grande . Irmã do meio . Aquela que vive brincando, vive sorrindo e puxa a minha orelha e ri das minhas piadas e chora junto comigo . Que fica braba quando vê que estou passando dos limites . Aquela que tem cara de menina, olhar e jeito de criança .
Mana, obrigada por existires . Lembro da gente correndo em volta da mesa da sala na casa de vovó . Lembro que tu guardavas o teu dinheiro (Sei lá onde, até hoje isso é uma incógnita) e pedia pra eu te pagar o picolé (Lembra disso ?) .
Minha irmã número um . Minha amiga número um . Ninguém e nada é (e será) mais forte que nós . E nunca existirá um amor mais puro e honesto que esse . Sabe por quê ? Porque a gente é sangue do sangue, coração do coração e amor do amor .
Quando eu crescer quero ser assim . Te amo . E é pra sempre .

P.S : Feliz aniversário, tudo de lindo pra ti . Ontem, hoje, amanhã e sempre .

As verdades que nem sempre a gente diz .

Eu não sou quem você pensa . Sou orgulhosa, exibida, não sei dizer não, detesto passar roupa, não lavo a louça no dia em que faço as unhas, tenho preguiça de gente lenta, penso sem parar, engato um assunto no outro, vivo com as pernas roxas, pois sou estabanada . Detesto mamão, rúcula, arroz doce e tomate seco . Gosto de abraçar apertado, beijar estalado, olhar no fundo do olho até desvendar a pessoa por inteiro . Já me enganei muito com as pessoas, já menti, já falei o que não devia, já meti os pés pelas mãos, já fui imatura e sem noção . Já saí na rua de cabelo sujo e unha descascada . Já tentei ser uma super mulher e desisti dez segundos depois . Já tentei seduzir e fazer jogo, mas não combina comigo, meus olhos sempre me entregam e eu começo a rir quando faço tipo . Nunca usei ninguém e detesto ser usada . Nunca fui desleal, palavra pra mim é coisa séria .
Meu lado criança acha que um dia vai mudar o mundo . Meu lado adulto também . Não jogo lixo na rua, mas não desligo a torneira enquanto esfrego um prato na pia . Prefiro cachorros, mas acho bonito o jeito que os gatos se movem . Adoro animais em geral, menos insetos e animais que são pegajosos . E não vou muito com a cara do passarinho que começa a cantar às três da manhã .
Já plantei árvore, já escrevi livros e quero ter uma filha . Antigamente, queria duas ou três . Hoje acho que só quero uma . Já gostei de pessoas e elas já gostaram de mim . Já iludi pessoas para deixar o meu ego de bem com a vida . Sim, eu sei que isso é horrível, mas eu tinha dezoito anos e naquela época me achava a rainha da cocada preta . Já fui iludida por pessoas que queriam deixar seus egos de bem com a vida . É, o mundo gira e a gente sempre leva o troco .
Adoro chorar em filmes . E já fiquei me olhando no espelho enquanto chorava . Treinei tanto que hoje posso afirmar que choro bonito . Já passei trote, já apertei na campainha e saí correndo, já enchi de desaforo pessoas que não mereciam .
Detesto perder quando estou jogando dominó ou qualquer outro jogo . E se perco mais de uma vez seguida sinto vontade de parar de jogar . É, eu não sei perder, confesso . Não gosto quando alguém não gosta de mim . Não gosto quando falam mal de mim . Não gosto quando sou criticada . Mas aprendi a lidar com isso, hoje procuro estar com minha consciência tranquila . E entendo perfeitamente que é impossível agradar a todos .
É claro que é bom ser amada . Quem não gosta de um confete e serpentina ? Mas prefiro sinceridade . Prefiro que você diga que não gosta de mim do que vir aqui, sorrir um sorriso quase sincero, virar as costas e falar mal .
Nasci pra ser livre, mas preciso saber pra onde voltar . Gosto do meu aconchego, meu porto-seguro, minha paz . E encontro tudo isso na minha família . Descobri que o amor só vem quando a gente começa a curtir a própria companhia, afinal, para se entregar para alguém é preciso saber exatamente quem você é (E ainda assim ser feliz) .

Louca pra casar .

O casamento mexe com qualquer mulher . Sempre ouvi aquele ditado : ‘Bem casado é quem bem vive’ e acredito nele . De que vale um papel se a vida a dois é monótona ? De que vale um contrato se a rotina é cansativa ? De que vale uma aliança no dedo se não existe olho no olho ? É claro que eu sempre quis casar vestida de noiva . Os sonhos vão trocando de roupa . E de vestido . E de sapato . E de penteado . E de brincos . E de maquiagem . Com 15 anos, eu sonhava em descer as escadas vestida de noiva . Então, meu pai entraria na igreja de braço dado comigo . Eu tentaria chorar de lado, com cuidado, para não borrar o rímel e não estragar o make . Muitos convidados na igreja, o padre falando da saúde e da doença, da riqueza e da pobreza, da alegria e da tristeza . E a gente dizendo sim, sim . Depois, uma festa de arromba . Música, champanhe, dança . Pés cansados, coração feliz . Não é fácil ser adulta, pagar as contas, pagar pra ver, começar sem pai nem mãe . A gente se sente engatinhando de novo . É claro que quem mora sozinho desde cedo não sente isso . Mas eu vou sentir . Quando eu casar daqui a uns anos, vou sentir a diferença, pois na minha casa, não preciso me preocupar com roupa limpa, com quem vai fazer o jantar, com o produto de limpeza que terminou, com o interfone que não está funcionando . Na minha casa, as paredes não são da cor que eu queria, o vaso da sala não tem o meu jeito, os pratos da mesa não fui eu que escolhi . Quando eu casar, vou assumir responsabilidades . Se eu não fizer, pedir ou comprar comida eu não irei comer . Se eu não abrir a janela ela permanecerá fechada . Se eu não lavar a louça a pia vai encher . Se eu não arrumar a cama ela permanecerá desarrumada . Não é fácil tomar decisões sozinha, mas é bom . É bom a gente caminhar com as próprias pernas . É bom a gente decidir qual caminho seguir . É bom a gente não ter que dar satisfação . É bom a gente poder ser a gente mesmo . É bom ser dono do próprio nariz . Com todos os prós e contras que isso traz . Sonho em sair de casa para casar . Sair de casa para morar junto . Deve ser muito bom morar junto . É claro que o dia a dia traz atritos . Traz desgaste . Traz chatice . Traz incomodação . Ei, ontem fui que limpei o xixi da cachorra, hoje é a sua vez . Ei, coloca a toalha para lavar . Tem que comprar mais pão . Pagou a conta de luz ? Poxa, eu já pedi pra não fazer barulho enquanto eu tô trabalhando . Por favor, cuidado, não bate a porta . Essas coisas são pequenas perto do todo . Perto do amor de verdade . Perto do alívio que a gente sente ao deitar e pensar : – Meu Deus, eu achei o amor da minha vida . E ele não é um príncipe . Ele é real : Tem bafo de manhã, molha o tapete do banheiro, acorda descabelado, erra, tem defeitos, suja a pia do banheiro, de vez em quando faz xixi fora do vaso, mas é atencioso, carinhoso, amoroso e todos os outros osos que um príncipe real precisa . Deve ser muito bom morar junto . Então, a gente vai casar . A gente vai casar porque o amor sentiu necessidade dessa sensação do ‘pertencimento’, de oficializar, de celebrar . Assinar aquele papel . Colocar a aliança no dedo . Comemorar com a nossa família . Acrescentar o sobrenome dele ao meu nome . O vestido não vai ser Vera Wang, como o da personagem do filme ‘Noivas em guerra’ (Lindo de morrer!) . Mas vai ser um vestido branco muito lindo . Não vai ter chuva de pétalas de rosas . Mas vai ter realidade e amor . Então, a gente vai casar no civil e na igreja . Uma cerimônia íntima, simples, mas linda . Cada detalhe vai ser pensado para ser um dia inesquecível . Depois, teremos mais um dia inesquecível . Dessa vez será em Paris, onde faremos nossa lua-de-mel . Mas não temos pressa, isso será daqui a uns tempos . Mesmo porque o sim a gente já disse faz tempo .

Sobre as surpresas boas da vida .

Admiro quem sabe lidar com mudanças . Sou um pouco resistente, preciso de um tempo para me adaptar, conseguir me sentir em casa, ficar em paz . Nem sempre consigo, é bem verdade, nunca consigo relaxar completamente . Me sinto presa, meus ombros ficam tensos, não consigo deixar os músculos soltinhos, aliviar a mente e o corpo dos problemas . Tem coisa que fica rondando a minha cabeça que nem guarda noturno .
Os últimos tempos foram difíceis . Tive um problema de saúde e  junto com ele, muitas descobertas . É impressionante como a gente está sempre se descobrindo, refletindo, amadurecendo . A gente nasce e morre um pouco todos os dias, de tantas coisas que vivenciamos, tantos medos que enfrentamos, tantos traumas que superamos, tantas guerras que perdemos . É uma loucura viver e ter a consciência de que somos tudo e nada .
Finalmente fiz 23 anos . A vida te cobra, ei, agora você tem 23 anos, seca essa lágrima, engole esse choro e seja mulher . Finalmente você tem 23, então se quer ter filho, acelera, vai pensando, planejando, pois com 30 começa a ficar passada . É assim, não adianta . Com 30 anos, surgem os cremes anti-idade (Antiidade ?) . Com os 30, você precisa cuidar com a Lei da Gravidade . Com os 30, você não pode fazer besteira . A sociedade diz que a gente é adulta, por isso precisamos nos comportar como tal . Vou pirar antes de fazer 30 anos . Um humor azedo me acompanhou . Um medo absurdo fez parte de mim . E se eu não der conta ? E se nada der certo ? Fiquei louca de medo . Digo para você com t-o-d-a-s as letras : Fiquei ca-ga-da de medo . Medo . Essa palavra tem me acompanhado desde que eu descobri minha hernia de hiato e minhas fortes dores no estômago . Um belo dia eu fui ao médico, estava com dores no peito . Eu pensei que ia morrer, imediatamente relacionei dor no peito com morte, já muita gente na minha família morreu de infarto . Aos poucos foi passando . Aos poucos fui tratando . Aos poucos fui tentando me dominar . Fui ao cardiologista, ele disse que minha saúde está boa . Estou tomando remédio, espero que temporariamente, para o estômago . Confesso que o que estava agravando o pânico era a proximidade do meu aniversário . Achava que ia morrer de infarte ou algo assim . Mas vi que era bobagem, afinal, estou aqui, vivinha da Silva . Mas deu medo . Medo . Medo . Medo . Ele . A gente sente tanto medo ao longo da vida, já percebeu ? Medo de viver . Medo de morrer . Medo de lagartixa . Nunca tive medo de viver . De morrer, sim . De amar, também . De encarar as coisas, também . Minha vida mudou muito nos últimos anos . Eu mudei muito nos últimos anos . Mudei sem oferecer a menor resistência . Mudei sem me surpreender com as mudanças . Elas simplesmente apareceram, aconteceram, me invadiram e se instalaram . Então, eu finalmente me senti em casa dentro de mim mesma . E hoje, mais do que nunca, sinto que não devo nada para ninguém . A gente demora demais para se livrar de pesos e culpas . Mas um dia, finalmente, a gente acorda . E descobre que tem uma vida inteirinha pela frente .

Não tô gostando nada disso .

Todo ciumento que se preze tem ciúme do passado . Você concorda ? Eu concordo . Não gosto do passado dele . Deve ser porque no começo do namoro uma desocupada de uma ex mandava recadinhos no Facebook, que depois ficavam rondando minha mente . Explico : ‘Uma moça de família’ deixava no Facebook dele recadinhos amigos, dessas pessoas que acham que podem tudo . Isso não é nada legal . Nada bonito . Nada saudável . Ficava braba . Ficava com ciúme . Ficava imaginando as coisas . Ficava com nojo . É que de alguma forma a gente pensa que a pessoa só gostou da gente, só quis a gente, só gozou com a gente . Sei que é um pensamento bobo, mas quando a gente ama não quer dividir . Os amigos do peito também ajudaram muito . Todo mundo tem um amigo do peito, né ? Aquele que conta o passado inteirinho . Olha, quando o fulano era solteiro era bem saidinho . Olha, o fulano pegava geral . Olha, o fulano tava sempre na noite . Olha, o fulano era um puta galinha . Também tem a investigação que a gente faz por conta própria . Comunidades do Falecido Orkut, naipe das amigas, gostos, juntamos uma coisa aqui, outra ali e a merda foi feita . Rotulamos : Fulano é um safado . A gente esquece que também beijou na boca, que também era solteira, que também fazia festinha, que também isso, que também aquilo . E o fulano vira o sem-vergonha da história . E já que o fulano era um solteirão Don Juan você fica morrendo de medo . De tudo . De levar um par de guampas . De aparecer uma mulher mais interessante, mais gostosa, mais bonita, mais legal, mais inteligente, sem os defeitos que você tem e com outros defeitos . Epa, me enganei . No nosso imaginário a moça que aparece não tem defeitos, só qualidades . Peitão, sorrisão, bundão e outros eteceteras . O que fode a nossa vida são os eteceteras . Tenho certeza . Não sei porque a gente imagina tanto . E se machuca tanto . Surge uma colega nova e a gente pensa meu Deus, será que é gata ? Será que sem querer muito querendo ele dá aquela olhadela para o rabisteco da querida ? Surge carne nova no pedaço e a gente sente a insegurança dar uma chave de braço . E me pergunto : Por quê ? Você ama ele, ele ama você . O passado existiu, já era, já foi . Você tem uma relação baseada no hoje, no respeito, no carinho, no amor, na cumplicidade . Ele não é idiota, não vai jogar tudo fora por causa de um par de pernas . Então, você pensa que é uma mulher forte, uma mulher linda, uma mulher amada, uma mulher bem resolvida, uma mulher com ême . E decide mandar o pensamento embora . Mas ele volta . Conheço pessoas que não têm ciúme . E admiro, admiro mesmo . Já ouvi falar que ciúme é sinal de insegurança, que ciúme é imaturidade, que ciúme é bobagem . Já ouvi dizer que ciúme é prova de amor . Olha, eu não sei definir o que é o ciúme, só sei dizer que a gente fica meio cega, meio burra, meio surda e fala muita besteira . E depois se arrepende . Acho que um pouquinho de ciúme é saudável . Mas aquele ciuminho bobo, de frescurinha . Já li casos horríveis de histórias que terminaram muito mal . A gente tem que puxar o freio de mão quando vê que a coisa está indo por outro lado . Confesso que sou ciumenta . Não sei se muito, não sei se pouco, não sei se dá pra medir o ciúme . Sei quando exagero . Nunca fui aquela ciumenta de fazer cena, de quebrar prato, de gritar pela rua . Odeio baixaria . Acho que a gente tem que resolver as coisas com uma boa conversa . Ele nunca me deu motivo pra ter ciúme . Mas ciúme é uma coisa inexplicável, você sabe .

Sobre a indiferença .

Me desculpe . Me desculpe . Me desculpe . Me desculpe . Começo assim, desse jeito, cheia das desculpas . Não, não fiz nada errado . Mas me desculpe mesmo assim . Antes de tudo eu confesso : Tenho um profundo pacto com as palavras . É uma coisa tão forte e intensa que beira a psicose palavral .
(…) Fiquei triste . Nem estava contando com você, mas você resolveu contar comigo . Tudo bem, vamos contar, afinal, sou bem ruim em matemática, sempre preciso que você refaça minhas contas . Por que eu me sinto tão idiota às vezes ? Por que às vezes eu me sinto uma completa idiota ? A impressão que dá é que só eu tento fazer a coisa certa . O problema é que não dá resultado algum . Vou parar de tentar e ver o que acontece . Sério, vou parar . Vou parar de me preocupar, de tentar deixar tudo bonitinho pra você, de muitas vezes deixar de lado o que eu quero pra que você esteja bem . Vou parar agora mesmo . Fico me perguntando : Você abre mão de alguma coisa sua pensando em mim ? Não, você sempre disse que vem antes, se ama tanto que vem antes, é tanto eu, eu, eu, eu que nem para e pensa se alguma atitude vai me deixar assim ou assado . Desculpe, estou com raiva agora . Raiva de você não prestar atenção, de não entender as coisas . E elas são tão simples, meu Deus, tão simples .
Toda ação tem uma reação . Ainda tinha escrito uma cartinha pra colocar no travesseiro, que besta . Coloquei a carta no lixo . E saí engolindo o choro no elevador . Não vou chorar, não vou chorar, pensei . Mas chorei . Parece que a cena se repetiu : Duas vezes fui embora chorando. Dessa vez eu fui chorando igual, mas era um choro diferente .
 Me desculpe, mas não consigo agir como se nada tivesse acontecido se alguma coisa de fato aconteceu . Minha mágoa foi porque eu tinha me preocupado tanto com você e você não teve a menor consideração . Mas deixa . Eu preciso aprender . Olha, tem muita coisa no mundo que eu não entendo, mas quer saber o que realmente não entra na minha cabeça ? Como pode uma pessoa saber que te deixou triste e simplesmente não fazer nada quanto a isso ? Se eu sei que deixei alguém chateado por uma atitude minha é evidente que vou procurar a pessoa, ligar, fazer alguma coisa . Jamais vou ficar quieta, na minha, sem saber o que a pessoa tá pensando ou sentindo . Se tá chorando ou com raiva . Além disso, tem o essencial : Vou querer consertar . Ainda mais se a mancada foi minha . Agora me pergunto : Como pode alguém cruzar os braços e deixar rolar ? O que adianta dizer que eu gosto muito de você, que você é mega importante pra mim se eu te deixo triste e não faço nada pra mudar isso ?
Pior ainda é dizer nem-sei-direito-porque-você-estava-triste . Poxa, não sabe ? Me pergunta! Mas não, você não perguntou . Ficou sem voz . Depois, quando toquei no assunto, você veio com essa de que também tinha se chateado e nem sabia ao certo o porquê da minha chateação . Ei, em que mundo você vive ? Se eu sei que você está triste vou querer saber o motivo, te ajudar, te deixar feliz . Não vou conseguir simplesmente passar um dia inteiro sem saber o que aconteceu . Por mais que eu me ame, me adore e ame minha própria companhia eu me importo demais com você, não consigo te ver mal com alguma coisa . Mas parece que essa sou eu . E parece que eu não sei nada ainda .